Dezembro Vermelho: Campanha Nacional
de Prevenção ao HIV/Aids e outras ISTs

jung_dezembro-vermelho-capa-lp.png

A campanha

O mês de dezembro é marcado pela campanha nacional Dezembro Vermelho, a qual promove a prevenção, assistência, proteção e promoção dos direitos das pessoas que vivem com HIV/AIDS e demais IST (infecções sexualmente transmissíveis). A campanha Dezembro Vermelho está pautada na Lei nº 13.504/2017, que marca uma grande mobilização nacional de combate ao HIV, AIDS e IST.

AIDS

A Aids é a doença causada pela infecção do vírus da Imunodeficiência Humana — do inglês, HIV — que ataca o sistema imunológico, responsável pela defesa do organismo de doenças. O vírus altera o DNA da célula T CD4+, fazendo cópias de si mesmo e multiplicando-se rompendo os linfócitos em busca de outros para dar continuidade a infecção. É preciso enfatizar que ser infectado pelo HIV é diferente de ter AIDS, pois muitas pessoas soropositivas podem viver sem apresentar sintomas ou sofrer da doença.

IST

Conforme dados divulgados pelo Ministério da Saúde, as infecções sexualmente transmissíveis (IST) são causadas por vírus, bactérias ou outros microrganismos. O tratamento de pacientes com IST pode melhorar a qualidade de vida e interromper a cadeia de transmissão dessas infecções, no entanto, se não for tratado adequadamente pode levar a complicações múltiplas e até levar à morte.

Transmissão

Os meios possíveis de contaminação de HIV e IST podem ser secreções como sangue, esperma, secreções vaginais e leite materno. Para haver a transmissão, o fluido contaminado de uma pessoa deve penetrar no organismo de outra pessoa, ocorrendo por meio de relação sexual, compartilhamento de seringas, acidentes com agulhas e objetos cortantes infectados, transfusão de sangue contaminado, transmissão vertical da mãe infectada para o feto durante a gravidez ou parto e durante a amamentação.

Estatísticas

Informações divulgadas pela UNAIDS mostram que após 40 anos desde as primeiras manifestações do vírus, 79,3 milhões de pessoas foram infectadas com o HIV. Em 2020, 37,7 milhões de pessoas no mundo inteiro estavam vivendo com HIV, 53% são mulheres e meninas e 1,7 milhão eram crianças até 14 anos. Além disso, em 2020, de todas as pessoas infectadas com o HIV, 73% tinham acesso à terapia antirretroviral.

AIDS e o Covid-19

Conforme a UNAIDS, pessoas infectadas pelo HIV têm consequências mais sérias e comorbidades mais altas resultantes do COVID-19 em comparação com pessoas que não vivem com HIV. Estudos da Inglaterra e da África do Sul revelaram que o risco de morrer por COVID-19 é o dobro entre pessoas que possuem HIV.

Prevenção e tratamento

A forma mais eficaz para prevenir a propagação da AIDS, é o uso de preservativos durante as relações sexuais, bem como, usar seringas e agulhas descartáveis, utilizar luvas para manipular feridas e fluidos corporais e testar sangue e hemoderivados para transfusão de sangue. Mães infectadas soropositivas devem usar medicamentos antirretrovirais durante a gravidez para prevenir a transmissão vertical e evitar a amamentação dos filhos.

 

Por fim, os cuidados e a prevenção são sempre importantes, pois a dúvida nunca esteve ao nosso lado quando se trata da nossa saúde. Desta forma, considere realizar os exames preventivos periodicamente. Aqui no Laboratório de Análises Clínicas Dr. Willy Carlos Jung contamos com a mais alta tecnologia para proporcionar diagnósticos completos e precisos.